TERÇA A DOMINGO
10H // 13H — 14H // 18H
ENCERRA SEGUNDA
ENTRADA GERAL: 2€
Domingo e Feriados 10h-13h: entrada gratuita
SUBSCREVER NEWSLETTER
subscrição bem sucedida
Todos os direitos reservados
© AMJP . 2016  /  ficha técnica
Caveiras, casas, pedras e uma figueira

Em Torno do Acervo

Coordenação: Teresa Santos
Visitas-Guiadas: Mariana Ramos, Glória Oliveira
Oficinas: Elsa Gonçalves, Luís Murtinha, Glória Oliveira e Berta Ehrich
5 de Abril a 29 de Setembro de 2013

abrir dossier (pdf)

A exposição deu origem a um conjunto de oficinas, cujos enunciados se apresentam de seguida, através das quais se explorou a obra de Júlio Pomar nas suas diversas vertentes, temáticas e metodológicas.

ler mais   

Notas sobre uma Arte Útil - Parte Escrita I

Caveiras, casas, pedras e uma figueira

Coordenação: Teresa Santos
Visitas-Guiadas: Mariana Ramos
Monitores: Sara Antunes, Perrine Le Monnier

5 de Outubro de 2013 a 16 de Fevereiro de 2014

abrir dossier (pdf)

A exposição deu origem a um conjunto de oficinas de desenho em torno das problemáticas de compreensão do espaço e da arquitectura.

ler mais   

Notas sobre uma Arte Útil - Parte Escrita I

Tratado dos Olhos

Coordenação: Teresa Santos
Visitas-Guiadas: Mariana Ramos
Monitora: Berta Ehrich

28 de Fevereiro a 27 de Setembro de 2014

abrir dossier (pdf)

A partir da exposição vai propor-se um conjunto de oficinas ligadas à escrita, à poesia concreta/desenho e à realização de livros de artista.

ler mais   

Notas sobre uma Arte Útil - Parte Escrita I

Edição e Utopia

Coordenação: Teresa Santos
Monitores: Mariana Ramos, Moirika Reker, Perrine Le Monnier, Elsa Gonçalves, Ana Teresa Magalhães

Outubro de 2014 a Março de 2015

abrir dossier (pdf)

Partindo das técnicas e temáticas exploradas pelo pintor, nas obras desta mostra, o projecto educativo do Atelier-Museu, que propõe um programa específico para cada exposição, preparou atividades e oficinas para crianças, jovens e adultos, baseadas em técnicas de impressão de gravura e outras formas de registo.

ler mais   

Sem Capricho ou Presunção
O Fado por Júlio Pomar & Novas Doações

Coordenação: Teresa Santos
Monitores: Mariana Ramos, Moirika Reker, Berta Ehrlich, Elsa Gonçalves, Ana Teresa Magalhães
28 de Março a 20 de Setembro de 2015

abrir dossier (pdf)

Partindo das obras patentes na mostra, o projecto educativo do Atelier-Museu, que propõe um programa específico para cada exposição, preparou atividades e oficinas para crianças, jovens e adultos, com vista à sensibilização do público para as expressões plásticas e, em especial, para a obra de Júlio Pomar.

ler mais   

Júlio Pomar e Rui Chafes — Desenhar

Coordenação: Teresa Santos
Monitores: Ana Gonçalves, Vitalina Sousa, Moirika Reker, Cláudia Alves, Amarante Abramovici, Elsa Gonçalves
8 de Outubro de 2015 a 21 de Fevereiro de 2016

abrir dossier (pdf)

No seguimento da parceria estabelecida entre o Atelier-Museu Júlio Pomar e a Apordoc - Associação pelo Documentário, para a apresentação de ciclos de documentários sobre arte, desenvolveu-se um novo programa, com maior dimensão, agora envolvendo também as Galerias Municipais de Lisboa, que permitiu realizar um ciclo de cinema de arte, durante o ano lectivo de 2015-2016, nos auditórios dos agrupamentos das escolas Rainha D. Leonor e escolas da Baixa-Chiado, nomeadamente no auditório do Liceu Passos Manuel, localizadas na área destes equipamentos.

ler mais   

Júlio Pomar e Rui Chafes
Desenhar

Texto: Ana Gonçalves


 

abrir dossier (pdf)

O Atelier-Museu Júlio Pomar inaugura, com a presente exposição, um ciclo anual de encontros entre a obra de Pomar e a de outros artistas. Para esta primeira mostra, foi convidado o escultor Rui Chafes, nascido em 1966 e com obra essencialmente constituída por esculturas em ferro. Nesta apresentação, os dois autores aproximam-se por três vias: a via temática, a via dinâmica e a via do desenho

ler mais   

Decorativo Apenas?
Júlio Pomar e a integração das artes

Texto: Ana Gonçalves


 

abrir dossier (pdf)

A presente exposição, comissariada pela historiadora da arte Catarina Rosendo, mostra ao público, pela primeira vez, um conjunto muito significativo de obras realizadas por Júlio Pomar no domínio das «artes decorativas», também conhecido como o da integração das artes. Centrada principalmente nas décadas de 1940, 50 e 60, a exposição dá igualmente a ver alguma da produção mais recente do artista nesta área.

ler mais   

Void*
Julio Pomar & Julião Sarmento

Texto: Ana Gonçalves


 

abrir dossier (pdf)

A presente exposição é a segunda de uma série que pretende colocar Júlio Pomar em diálogo com autores de gerações mais novas. Mostra obras da série Dirt de Julião Sarmento (n. 1948), datada de 2008, e obras de Pomar realizadas em diferentes momentos da sua carreira.

ler mais   

Júlio Pomar:
Almoço do Trolha, Farrapeira e Resistência

Texto: Hugo Dinis


 

abrir dossier (pdf)

Este caderno é publicado por ocasião da exposição Estranhos dias recentes de um tempo menos feliz com curadoria de Hugo Dinis, Prémio de Curadoria do Atelier-Museu Júlio Pomar/EGEAC 2016 onde a obra Almoço do Trolha (1946-50) de Júlio Pomar foi exposta. No âmbito da pesquisa e investigação que o Atelier-Museu tem feito sobre a obra de Júlio Pomar, revelou-se pertinente revisitar a 2.ª Exposição Geral de Artes Plásticas, realizada em Maio de 1947, na Sociedade Nacional de Belas-Artes. Conjuntamente com a pintura Almoço do Trolha o pintor, que se encontrava preso à data, apresentou as pinturas Farrapeira (1947) e Resistência (1946). A última foi apreendida a mando da PIDE durante o evento e actualmente pertence à Colecção do Museu da Cidade/CML encontrando-se em depósito no Atelier-Museu Júlio Pomar/EGEAC

ler mais   

Júlio Pomar e Cabrita Reis:
Das pequenas coisas

Texto: Ana Gonçalves


 

abrir dossier (pdf)

A exposição intitulada Júlio Pomar e Cabrita Reis: Das pequenas coisas (01.06 - 08.10.2017) é a terceira de uma série que promove um diálogo frutífero entre Júlio Pomar (n.1926) com autores de gerações mais novas. Nesta ocasião, o artista Cabrita Reis (n.1956) coloca numa mesma plataforma de discussão as suas esculturas, produzidas através de objectos encontrados, e as assemblages que Júlio Pomar tem vindo a produzir desde os anos 60. Ao relacionar e cruzar a obra de ambos, questionam-se as suas produções artísticas e as relações que estabelecem com a contemporaneidade.

ler mais