Talk
26.11.2022
15h - 18h
Conceção e moderação:
Catarina Rosendo
Oradores:
Helena de Freitas (curadora da Fundação Calouste Gulbenkian) / António Preto (director da Casa do Cinema Manoel de Oliveira) / Delfim Sardo (professor, administrador do Centro Cultural de Belém, curador)

Quando os espólios documentais dos artistas são acolhidos em instituições culturais que os tratam e disponibilizam ao púbico, quais as motivações e as consequências desse gesto? O que significa atribuir valor à produção artística através do estudo dos seus indícios documentais: que circunstâncias lhes subjazem, sejam elas de relevância artística, de consciência histórico-patrimonial, ou outras; e que possibilidades abrem para ampliar o conhecimento de determinado/a artista ou determinado contexto?

Esta sessão é sobre a memória, a dedicação e o compromisso, quase sempre mais intencionais que ocasionais. Pretende analisar o trabalho de preservação da memória à luz do que cada momento histórico decide guardar para se representar a si mesmo às gerações futuras; bem como a disposição contemporânea para a ideia de arquivo e a sua capacidade discursiva. Toma como exemplos investigações orientadas por projectos curatoriais, catálogos raisonnés e outras publicações, nos quais a investigação das fontes é essencial na reconstrução narrativa, no colmatar de lacunas, e no exercitar num pensamento de tipo interpretativo que visa problematizar a autenticidade dos dados conhecidos.