Exposição
Comissário:
José Neves
15.09.2016 // 16.10.2016
Mais informações:
Descarregar Press Release

Ciclo de Conversas:
18, 25 de Setembro 1 e 9 de Outubro (17h-20h)

O Atelier-Museu Júlio Pomar, instalado num edifício desenhado pelo arquitecto Álvaro Siza Vieira, apresenta, de 15 de Setembro a 16 de Outubro de 2016, a segunda edição de conferências dedicadas à Arquitectura.

O programa desta segunda edição, intitulado “A Arquitectura dos Artistas” e comissariado pelo arquitecto José Neves, será composto por uma exposição e quatro conversas que contarão com a participação de doze artistas e quatro arquitectos, nomeadamente: António BolotaEduardo BatardaFernanda FragateiroFrancisco TropaJoão QueirozJosé Pedro CroftLeonor AntunesPaulo NozolinoPedro CostaRicardo JacintoRui ChafesVera ManteroCamilo RebeloManuel Aires MateusManuel Graça Dias e Pedro Maurício Borges.

Propondo-se como objectivo principal do programa, a reflexão sobre as relações entre o pensamento, o trabalho artístico e a Arquitectura, cada um dos artistas participantes foi convidado a escolher uma obra arquitectónica relevante para o seu próprio trabalho, e a trazer para o espaço do museu, uma peça, da sua autoria ou não, relacionada com a obra escolhida.

A exposição colectiva, que inaugura a 15 de Setembro, às 18h, no AMJP, constituída pelo conjunto das peças trazidas pelos artistas, estará patente durante as quatro semanas (até 16 de Outubro de 2016) em que o programa decorrerá, acompanhando as várias conversas.

Nascido em Lisboa em 1963, José Neves é licenciado em Arquitectura pela Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, tendo aberto o seu próprio atelier em 1991. Actualmente é professor convidado do Departamento de Arquitectura e Urbanismo do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa. Entre os prémios e distinções recebidas ao longo da sua carreira, contam-se o Prémio Associação Internacional de Críticos de Arte/Secretaria de Estado da Cultura/Millennium BCP 2014 de Arquitectura – na sua base esteve o projecto de reabertura do Cinema Ideal- ; a Menção Honrosa do Prémio Vasco Vilalva 2015, da Fundação Calouste Gulbenkian — também pelo projecto do Cinema Ideal —; o Prémio Secil de Arquitectura 2012; o Prémio Valmor 2011, em ex-aequo, e o 1.º Prémio de Arquitectura da Câmara Municipal de Torres Vedras 1996-2001.

© António Jorge Silva / AMJP